FACEBOOK

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Alfandega (1988-2004)

(Foto: Reprodução/Internet)
Alfândega é a banda cuja sonoridade vai do soft ao hard, confeccionada com vigor poético e formação clássica de rock’nroll: guitarra, baixo e bateria. As letras de suas músicas expressam esse fazer poético, e falam das diversas matizes do sentimento que existe no dia-a-dia de seus componentes: amor, esperança, indignação, etc. Daí o nome da banda, Alfândega , o lugar por onde passam os fatos cotidianos e os sentimentos por eles gerados que são percebidos e transformados em produtos musicais .
A história da Alfândega tem início no final de 1988, quando Carlos Henrique, estudante de arquitetura e Rômulo Tavares, estudante de educação artística conheceram-se na Escola de Música da UFRN. Além de arquitetura, Carlos também estudava violino e Rômulo violão. Como tinham objetivos musicais em comum resolveram formar a banda. Para a bateria foi convidado Pedro Queiroga, também estudante de Educação Artística. Em seguida, foram convidados Arthur Winston, estudante do curso de Física para a guitarra-solo e Gileno José de Engenharia Elétrica para o baixo. Gileno que hoje ensina no CEFET de Mossoró não permaneceu na banda, mas participou de uma fase marcante dela.
A influência do rock nacional e internacional dos anos 80 foi muito forte no primeiro momento da banda. Grupos que cantavam utopias sociais e rock de protesto como U2, THE POLICE, MIDNIGHT OIL, BAUHAUS, BEATLES, PARALAMAS DO SUCESSO e artistas como Caetano Veloso entre outros eram interpretados dentro da ótica Alfandegária.
Mas foi a vocação para a música autoral o que pautou os primeiros ensaios e os caminhos a serem percorridos pela banda. No princípio, as parcerias se davam basicamente entre Carlos e Rômulo, além deles comporem isoladamente também.
Ainda na primeira fase que vai até 94, a banda tocou com Chico Science e Mundo Livre num show em Recife, abriu shows para o Biquine Cavadão e Engenheiros do Hawai; fez shows autorais no Palácio dos Esportes e no Teatro Alberto Maranhão, em Caicó e em Campina Grande.
De 95 ao ano 2000 a Alfândega esteve parado. Em 2001 Carlos Henrique reuniu alguns amigos músicos e fez uma apresentação no festival MADA, anunciando o retorno da banda que se daria em breve. No mesmo ano a formação original retomou os ensaios e selecionou 14 músicas para serem gravadas.

Foi com o apoio da Lei Municipal de incentivo à cultura que o CD foi gravado, tendo a participação do Coral Madrigal da UFRN, da cantora portuguesa Ana Barbara Baptista, da cantora israelense Meira Asher e dos músicos Eri Araújo (trompete),Franklin Nogvaes (teclados),Marco França (piano e teclados) e Jorge Lima (direção, percussão e efeitos) . Este CD inclusive foi indicado ao prêmio HANGAR nas categorias melhor CD e melhor letrista.

BAIXE O CD CLICANDO NA CAPA

01 luz dos corações
02 alquimia
03 mpb (medo popular brasileiro)
04 babel
05 outra maneira de amar
06 agora e sempre
07 a pista das cinzas
08 homens do cais
09 homens maus
10 a escolha de edu
11 guerra
12 florbela
13 aquela moça
14 shalom

0 comentários:

Postar um comentário